20 Visualizações |  Curtir

Polo, Argo, Virtus e Cronos vão ditar as regras do mercado em 2018

Saiba por que as duas novas famílias de carros da Volkswagen e da Fiat ameaçam a liderança da Chevrolet (vendas de janeiro deram o tom)

  

Polo: ótima arrancada em janeiro, com a quarta posição no ranking geral e o primeiro lugar entre os VW.

Ano novo, mercado novo. Simples assim. Fechadas as vendas de janeiro, com alta geral de 22,3% no mercado de automóveis e comerciais leves, dois modelos já se destacam: VW Polo e Fiat Argo. Sucesso imediato, o Polo já alcançou o quarto lugar e se tornou o Volkswagen mais vendido do momento, à frente do Gol. O mesmo aconteceu com o Argo, que se firma como superior ao Mobi dentro da linha Fiat. O que isso significa para o mercado? Muito. Mas, em resumo, significa que a liderança da Chevrolet finalmente começa a ser ameaçada.

Um simples olhar no ranking de janeiro não revela muita coisa, afinal terminou com o Onix disparado na frente: 16.058 emplacamentos, contra 6.632 do Polo e 4.972 do Argo. E se não bastasse o primeiro lugar do Onix, ainda temos o Chevrolet Prisma em quinto lugar, com 5.926 vendas. Mas é preciso mergulhar nos números para saber o que eles revelam. E foi o que fizemos. Mas, antes, primeiro veja como ficou o ranking dos 10 carros mais vendidos no primeiro mês de 2018:

POS.

CARRO

VENDAS

MONTADORA

CATEGORIA

1

Chevrolet Onix

16.058

GM

Hatch

2

Ford Ka

7.656

Ford

Entrada

3

Hyundai HB20

7.436

HMB

Hatch

4

Volkswagen Polo

6.632

VW

Entrada

5

Chevrolet Prisma

5.926

GM

Sedã

6

Volkswagen Gol

5.893

VW

Hatch

7

Fiat Strada

5.372

FCA

Picape

8

Fiat Argo

4.972

FCA

Hatch

9

Fiat Mobi

4.679

FCA

Entrada

10

Jeep Compass

4.546

FCA

SUV

O que esse ranking nos mostra? Pela primeira vez em muitos anos, as três montadoras líderes têm oito carros colocados entre os Top 10. A GM começou o ano com 19,3% das vendas, seguida da FCA com 17,3% (sendo 13,3% da Fiat e 4% da Jeep) e a Volkswagen está num robusto terceiro lugar, com 15%. São essas três que brigarão pela liderança do mercado nos próximos anos. Na sequência vêm, pela ordem: Ford (9,3%), Hyundai (8,4%), Toyota (8,1%), Renault (6,3%), Honda (5,7%) e Nissan (3,8%). Depois disso, todo mundo na casa de 1,1% para baixo.

O poder de fogo dos novos sedãs

Para além da boa arrancada da Volkswagen (a FCA já estava em boa posição), o que realmente precisa ser levado em conta é a chegada, em fevereiro e março, dos dois sedãs-irmãos do Polo e do Argo, ou seja, o Virtus (Volkswagen) e o Cronos (Fiat). Com atrativos ainda maiores do que seus irmãos hatchback, o Virtus e o Cronos certamente roubarão vendas da GM (se nem tanto do Prisma, com certeza muitas do Chevrolet Cobalt, posicionado um pouco acima). O Virtus tem entre-eixos (e espaço interno) maior que o Polo; o Cronos tem design superior ao do Argo.

O poder de fogo do Virtus e do Cronos a favor da Volks e da Fiat não é pequeno. Por isso, outras montadoras já estão se mexendo. É o caso da Honda, que tratou de remodelar o City, e da Toyota, que lançará o Yaris na metade do ano. Então, o que se espera é uma temporada muito mais competitiva no mercado de carros de passeio – e essa competição se dará no topo do ranking, nas dez primeiras posições.

Para se ter uma ideia do que isso representa, os 10 carros mais vendidos somaram 69.170 unidades em janeiro. E dentro desse pequeno universo, a força das três líderes (GM, FCA e VW) é ainda maior, se comparada ao mercado total. A GM tem 31,8% dessas vendas, enquanto a FCA tem 28,3% e a Volkswagen soma 18,1%. Das três, porém, só a Volks e a FCA (no caso a Fiat) têm projetos fortes chegando às ruas. Portanto, pela primeira vez em três anos, a disputa está aberta. Dificilmente o Onix perderá o tetracampeonato entre os modelos, mas o tetra da Chevrolet já corre risco entre as marcas e o bi da GM mais ainda entre as montadoras – ela que fez barba, cabelo e bigode em 2017.

Motor Show